POSTAGEM COM NOTICIAS ( PARTE 3 )

Olá amigos e leitores do blog, estamos atualizando neste sabado de sol e temperatura amena no momento



Agradecemos a todos pelas visitas e em especial ao PAULO pelo comentário


PAULO

Trocar velho por velho é froids...kkkk, Mas essa é a realidade do Grupo RLC. Se realmente virão 20 veículos novos para Indaiatuba, eu só acredito vendo, mas se vierem, poderiam aproveitar para comprar novos para o restante das empresas do grupo que também precisam. Já com relação aos Chedid, esses não estão de brincadeira, a linha "SOU" vai ser ampliada para muitas cidades da RMC muito mais rápido do que podemos imaginar...

Então rapaz de fato vamos aguardar mesmo a vinda dos 0k que serão os primeiros lotes depois de muito tempo, lembrando que creio que neste lote devem vir os da FÁTIMA também

E sobre os Cheddid, o avanço deles demonstra o quanto são competentes, pois resolveram expandir no momento certo


Abraços e fique com Deus




####################################################################################################


Terceira e última parte, por enquanto




Em breve Ouro Fino ganhará uma nova Rodoviária

Ontem foi divulgado pela Prefeitura de Ouro Fino, imagens das obras da nova Rodoviária que atenderá a cidade
Com certeza isso irá melhorar bastante o fluxo dos ônibus e como foi dito a atual Rodoviária deixa muito a desejar
Para quem não se lembrar eu e Janne a visitamos em 2010
Aqui eu deixo o link de uma das fotos que foram feitas no dia desta visita

http://rogerejanne.blogspot.com.br/2014/11/recordando-viacao-braganca-em-duas.html


Veja o vídeo da nova Rodoviária







JBS fecha acordo de leniência e traz mais tranquilidade sobre seu futuro

Veja a matéria da REVISTA EXAME




J&F pagará multa recorde de R$ 10,3 bi em acordo de leniência

A multa foi estipulada após cinco propostas rejeitadas que foram apresentadas anteriormente pelo grupo controlador da JBS ao Ministério Público

Brasília – Procuradores do Ministério Público Federal e representantes da J&F fecharam na noite de terça-feira as bases de um acordo de leniência que prevê o pagamento de multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais por atos praticados por empresas controladas pela holding, informou a Procuradoria da República no Distrito Federal.
A multa, a maior já fixada para um acordo desse tipo no país e no mundo, foi estipulada após cinco propostas rejeitadas que foram apresentadas anteriormente pelo grupo controlador da JBS ao Ministério Público.
A primeira delas era no valor de 700 milhões de reais e a última, antes de o acordo ser fechado, foi de 8 bilhões de reais.
Em comunicado na manhã desta quarta-feira, a JBS confirmou o acordo celebrado pela sua controladora com o MPF, acrescentando que manterá o mercado informado sobre os desdobramentos deste acordo que estejam relacionados à JBS.
Na segunda-feira, reportagem da Reuters havia informado que o MPF considerava estar havendo um avanço nas negociações para fechar o acordo que poderia ser celebrado nos próximos dias, conforme uma fonte que acompanha o caso.
O acerto incluiu fatos que são investigados por procuradores da República em cinco operações: Greenfield, Sépsis, Cui Bono, Bullish e Carne Fraca. O documento ratificando o acordo, segundo comunicado da Procuradoria, será assinado nos próximos dias, após a conclusão das discussões das cláusulas do acordo.
A leniência da J&F prevê que, do total a ser pago, 8 bilhões de reais serão divididos pelos seguintes órgãos e instituições nas respectivas proporções: Funcef, fundo de pensão da Caixa (25 por cento); Petros, fundo de pensão da Petrobras (25 por cento); Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Socialo (BNDES) (25 por cento); União (12,5 por cento); Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) (6,25 por cento); e Caixa Econômica Federal (6,25 por cento).
Os 2,3 bilhões de reais restantes da multa do acordo, segundo o comunicado, serão pagos por meio de projetos sociais, especialmente nas áreas de educação, saúde e prevenção da corrupção.
O acerto prevê que os pagamentos serão efetuados exclusivamente pela holding controladora, a J&F, uma forma de evitar, segundo uma fonte familiarizada com os termos da negociação, que sócios minoritários de outras empresas do grupo arquem com esse passivo. O pagamento deverá começar a partir de dezembro de 2017.
O acordo da J&F prevê 25 anos para o pagamento de todo o passivo. No período de vigência da leniência, os valores sofrerão atualização monetária pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), principal índice inflacionário brasileiro. A projeção feita é que, no futuro, o valor total a ser pago pela J&F alcance cerca de 20 bilhões de reais.
“O acordo é uma notícia importante para a JBS e deixa para traz qualquer insegurança de nossos clientes, fornecedores, investidores e colaboradores”, afirmou o presidente do conselho de administração da empresa Tarek Farahat, em nota.
Às 14:50, as ações da JBS subiam 7,6 por cento, a 7,96 reais, tendo avançando mais de 9 por cento na máxima da sessão até o momento, enquanto o Ibovespa caía 1,6 por cento.
O total fixado para o pagamento da multa representa 5,62 por cento do faturamento livre de impostos registrado pelas empresas do grupo em 2016. Esse percentual de multa por faturamento equivale à média verificada em outros quatro acordos firmados no âmbito da operação Lava Jato.
O montante estipulado na leniência da J&F é, em termos absolutos, o maior já firmado em acordos desse tipo no Brasil e no mundo.
É superior à soma dos valores que serão pagos nas leniências pelos grupos Odebrecht (3,28 bilhões de reais); Braskem (3,1 bilhões de reais); Andrade Gutierrez (1 bilhão de reais) e Camargo Corrêa (700 milhões de reais).
Uma diferença entre a leniência da J&F e as demais empresas que fecharam esse acordo da Lava Jato é que todo o valor da multa arrecadada ficará no Brasil.
A leniência da J&F, espécie de delação premiada das empresas, vai levar, por exemplo, a suspensão de oito procedimentos de investigações em curso contra a holding e seus acionistas apenas no âmbito da Procuradoria da República do Distrito Federal.
Ainda não houve nenhuma denúncia criminal oferecida contra a empresa, embora as investigações da operação Bullish, uma das quatro que a J&F é alvo, estivessem bastante avançadas.
O fechamento do acordo de leniência, segundo a fonte ouvida pela Reuters, deverá funcionar com uma blindagem para que a empresa também responda na Justiça por irregularidades — assim como ocorreu com os irmãos Joesley e Wesley Batista que tiveram há duas semanas acordo de delação premiada homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
A J&F também costura um acordo de leniência com autoridades dos Estados Unidos, importante mercado consumidor dos produtos da JBS.



A minha preocupação como já disse aqui era com o futuro da empresa aqui na nossa cidade, mas agora com este acordo, creio que podemos dizer que volta a tranquilidade aos funcionários e aos fornecedores





YPE entrega novos abrigos de ônibus em Amparo



Segundo informações a ação foi fruto de uma PPP PARCERIA PÚBLICO PRIVADA entre a YPÊ e a Prefeitura e resultou na construção de novos abrigos de ônibus ao longo da AV WALDIR BEIRA
Foram construidos 3 novos abrigos iguais a este da foto
Eles contam com uma área que é dobro do que existia antes, com bancos, lixeiras e iluminação 
Além disso foram feitas obras para a elevação do piso o que facilita o embarque e desembarque de passageiros
Esperamos que este mobiliário possa ser conservado
O único detalhe é que no restante da cidade, os abrigos continuam sendo os antigos, mas esperamos que um dia isso possa mudar, pois um local decente para esperar o ônibus também é uma parte importante dentro do projeto de se conseguir mais passageiros



##################################################################################################################################################################

É ISSO AI AMIGOS
AMANHÃ UM NOVO POST SE DEUS QUISER
ABRAÇOS E FIQUEM COM DEUS SEMPRE !!!!!

Comentários

  1. muito bom saber dessa novidade em Ouro Fino já passou da hora mesmo de construirem uma nova rodoviaria ,outras cidades que precisam seguir esse exemplo são Jacutinga e Monte Sião ,sobre a compra das linhas de Mogi Mirim e Mogi Guaçu a unica coisa que não consegui confirmar ainda é se a linha Mogi Guaçu - Itapira entrou no negócio ,creio eu que sim mas não tenho certeza ainda

    ResponderExcluir
  2. Fala parceiro, ja que ypê bancou esses pontos porque não fizeram uma parceria para a construção de passarelas em frente a fabrica, essas passagem de pedestre elevada ficou horrível pra nós motoristas sem contar que não vai ajudar na segurança, faz sim os veículos reduzirem a velocidade, mas motociclista usa de rampa, sem contar que muitos estão parando nessa faixa(o correto) porem o risco de uma colisão na traseira é grande, e muitos pedestres abusa achando só porque a preferência é deles e vai passando sem observar, agora o pior de tudo isso ta atrapalhando e muito o fluxo, somente minha opinião. Grande abraço, Leandro.

    ResponderExcluir
  3. Gostei desse ponto de ônibus aí... Nessas horas que me pergunto do porque muitas empresas e prefeituras tem preguiça de investir em abrigos decentes para os passageiros.

    Paulo H Campos

    ResponderExcluir

Postar um comentário