HOPI HARI É FECHADO POR TEMPO INDETERMINADO

Olá amigos e leitores do blog, estamos atualizando neste sabado de sol e calor no momento


Agradecemos a todos pelas visitas
MUITO OBRIGADO DE CORAÇÃO !!!




####################################################################################################


Bem amigos, hoje trago uma noticia importante que saiu ontem no final da tarde que trata do fechamento por tempo indeterminado do HOPI HARI
Como isso impacta no turismo regional e também nas linhas






“O Hopi Hari segue vivo. Estamos apenas fazendo uma breve pausa para respirar e voltar à luta ainda com mais força. Nosso sonho continua. Temos saudades da filas gigantescas, das crianças correndo, dos romances iniciados em Mistieri, e dos tênis molhados no Spleshi. Queremos que o Hopi Hari volte a ser sinônimo de alegria", consta no documento.
No documento [veja a nota na íntegra no fim da reportagem], a presidência do parque relaciona a interrupção das atividades com a cobertura feita pela imprensa, que noticiou recentemente a grave crise enfrentada pela atração, que, inclusive, estava funcionando à base de gerador de energia por falta de pagamento à companhia de força e luz, CPFL.
O parque já tinha limitado os horários de funcionamento, se restringindo ao fim de semana - sexta, sábado e domingo -, mas mantinha a venda de ingressos no site oficial.
Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Parques de Diversão (Sindiversão) , desde fevereiro os trabalhadores estão sem receber os salários e muitos nem possuem registro.
Nesta sexta, a entidade informou que não foi notificada oficialmente do fechamento do parque e disse que tem tentado fazer contato coma diretoria da atração, ,mas sem sucesso.Visitantes surpreendidos
No início da tarde desta sexta, quando o parque deveria funcionar, o repórter da EPTV, afiliada da TV Globo, Paulo Gonçalves apurou no local que o estabelecimento chegou a abrir as portas para os visitantes, mas fechou inesperadamente.
O público - que não era expressivo há algum tempo - foi retirado do espaço porque não haveria funcionários para recebê-los. Segundo as informações apuradas no local, os trabalhadores chegaram a ir ao parque, mas decidiram suspender as atividades.

Site não vende ingressos

O site oficial do parque está operando normalmente com o anúncio de atrações para o Dia das Mães e o endereço para a compra de passaporte para usufruir das atividades. No entanto, ao tentar adquirir um ingresso, o interessado é informado que "no momento não temos produtos disponíveis nesta categoria

Veja a nota do parque na íntegra

NOTA OFICIAL
Nesta última semana, o HOPI HARI foi alvo de uma onda de ataques raivosos e desproporcionais, pressagiando o fim do parque - o que, se depender de nós, não irá acontecer.
O HOPI HARI segue vivo. Mas em função de infames reportagens, estamos considerando fazer uma pausa no atendimento ao público, tomar fôlego e voltar com toda força.
O que há por trás desses ataques e dessa insistência cruel em denegrir a imagem de um parque que luta para voltar a ser um palco de alegria e diversão?
O fechamento do parque não interessa ao público, nem a funcionários, bancos, credores e nem mesmo à região, que perde um grande atrativo turístico. A falência só pode interessar a alguns bárbaros que pretendem se apossar da área vá saber com que fins.
A situação do HOPI HARI é bem conhecida por todos: dívidas, pouco público, atrações paradas, plano de recuperação judicial em aprovação e uma longa fila de problemas herdados de administrações anteriores.
Ainda assim, acreditamos que é possível recuperar o brilho desse maravilhoso lugar, investimos nele e iniciamos uma nova gestão no dia 5 de abril passado, com a saída do presidente anterior, Luciano Corrêa.
Fizemos esforços hercúleos para manter o parque aberto e funcionando, sempre com o apoio incondicional de todos os funcionários, e com todas as garantias para os visitantes. Nossas atrações são seguras e estão com sua manutenção em dia. E sempre divulgamos em nosso site e na entrada do parque quais atrações estão funcionando.
Aquelas reportagens afetaram fortemente as negociações com investidores. É necessária muita coragem para investir numa empresa que a mídia está "enterrando" viva, e cujo plano de recuperação judicial ainda está para ser aprovado. Mas continuamos acreditando e seguiremos buscando soluções.
O HOPI HARI segue vivo. Estamos apenas fazendo uma breve pausa para respirar e voltar à luta ainda com mais força. Nosso sonho continua. Temos saudades das filas gigantescas, das crianças correndo, dos romances iniciados em Mistieri, e dos tênis molhados no Spleshi. Queremos que o HOPI HARI volte a ser sinônimo de alegria!
José Luiz Abdalla
Presidente

Crise no Hopi Hari

No dia 29 de abril, o novo presidente do parque, José Luiz Abdalla, disse que como o estabelecimento mudou de gestão passava por um período de transição e que o estabelecimento estava em fase de reestruturação.
Ele disse também que estava tomando todas as providências para garantir o funcionamento do estabelecimento comercial.
No ano passado, a Justiça aceitou o pedido de recuperação judicial feito pelo parque de diversões. A solicitação é uma tentativa da empresa de se reorganizar para pagar as dívidas e evitar a falência.

Morte no parque

Em janeiro, a Justiça condenou três funcionários do parque de diversões Hopi Hari pela morte da estudante Gabriela Yukari Nichimura em fevereiro de 2012. De acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), os réus receberam a sentença de 2 anos e 8 meses de prisão no processo por homícidio culposo, mas o juiz reverteu a pena para prestação de serviços à uma comunidade e pagamento de um salário mínimo para uma entidade social.
Segundo a nota oficial do TJ-SP, outros cinco funcionários foram absolvidos. De acordo com o promotor do caso, Rogério Sanches, o processo foi desmembrado e a condenação publicada abrange apenas os que trabalhavam na operação e manutenção do brinquedo que a adolescente caiu.
Os outros quatro réus são ex-diretores e o ex-presidente do parque Armando Pereira Filho, que havia sido excluído do julgamento, mas voltou ao processo após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Eles não têm prazo para serem julgados. O Ministério Público disse na época que ia recorrer da absolvição de quatro funcionários.

Recuperação judicial

Em outubro do ano passado, a Justiça aprovou o pedido de recuperação judicial feito pelo parque de diversões Hopi Hari. A solicitação é uma tentativa de se organizar para pagar as dívidas e evitar a falência. Junto com a decisão, foi determinado também o congelamento das ações e execuções contra o estabelecimento por seis meses, exceto as que demandam quantias ilíquidas, fiscais e ações trabalhistas.
Em agosto, a empresa entrou com o pedido para evitar a falência do empreendimento e tentar conseguir investidores para pagar uma dívida de R$ 330 milhões com credores. Na época, o advogado do parque, Daltro Borges, afirmou que pelo menos 50% da dívida do local era com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e, por isso, sem a recuperação judicial, ficaria impossível ter acesso às linhas de crédito e o grupo seria obrigado a decretar falência.

Montanha-russa

Em julho do ano passado, a juíza Carolina de Figueiredo Dorlhiac Nogueira, do Foro Central Cível de São Paulo, autorizou o empresário Cesar Augusto Federmann a fazer a retirada de uma montanha-russa do parque.
O brinquedo tratado no processo, uma montanha-russa de dez inversões, era prevista como nova atração, mas estava desmontada e o prazo para abertura aos visitantes não foi confirmado pelo parque.
Em nota divulgado na época, o Hopi Hari alegou que todas as questões judiciais foram encerradas por meio de acordo enviado para a Comissão de Valores Mobiliários.
Em janeiro do ano passado, o empresário acionou a Justiça de Vinhedo para cobrar R$ 5,9 milhões do parque, referentes a um empréstimo feito em dezembro de 2014 e acréscimo de juros. Contudo, o pedido foi indeferido no mesmo mês pelo juiz da 1ª Vara Cível.

Paralisações

No mês de agosto, os funcionários do parque fizeram paralisações por falta de pagamento em duas ocasiões e os turistas que vieram de outras cidades ficaram sem acesso ao espaço. Na época, a empresa não confirmou a greve e disse que o local estava em manutenção.
####################################################################

Site de traslados por ônibus para o HOPI HARI já não tem mais opções

Eu pesquisei o site onde mostravam as linhas disponiveis de traslados mas não consta mais opções
Veja no link abaixo
http://www.hopibus.com.br/hopi-hari
Segundo o que esta no site a empresa que prestava o serviço era a PLAYBUS

Enfim fica ai a informação e a lamentação pela crise enfrentada e pelos empregos perdidos

############################################################################################################

VOLTAMOS AMANHÃ SE DEUS QUISER

Comentários

  1. boa tarde Roger vou comentar um pouco atrasado sobre a postagem de ontem ,o que tá se comentando aqui em Itapira é que a fenix tem mais planos do que simplesmente o urbano daqui por isso ela deu esse valor na outorga foram 1,200,500,00 contra 1,067,000,00 da mirage ,o que sei de um funcionario da educação é que em breve deve ter também a licitação do transporte escolar da rede estadual de itapira que vai ser feito pela delegacia de ensino de mogi mirim e a receita dessas linhas é muito boa ,além disso tem um boato que está sendo comentado ,não sei se vc lembra mas eu disse aqui no ano passado que poderia ter uma novidade nesse ano que ninguem imaginava ,bom a novidade seria que a santa cruz estava vendendo o urbano de Mogi Guaçu,suburbano e a linha Mogi Guaçu - Itapira e a empresa estava em conversa justamente com a mirage sobre isso ,bom essa seria a novidade mas o negócio não se concretizou agora o que tá se comentando inclusive um busologo do guaçu me perguntou é que a fenix comprou ou tá negociando o urbano de lá e a trans netti o fretamento já que a relação da benfica com o grupo sc não andaria muito bem aliás sobre a benfica ouvi de funcionarios do sindicato dos motoristas que ela estaria querendo desfazer a sociedade ,resumindo acho que tem muita coisa pra rolar aqui na região da baixa mogiana ainda ,vamos aguardar o desenrolar dos fatos

    ResponderExcluir

Postar um comentário